Profissões da construção civil ligadas aos projetos

Vamos falar um pouco sobre o profissional que faz o trabalho de escritório, o projeto da construção. Algumas formas de atuação, o mercado de trabalho e um pouco das perspectivas.

Profissionais da construção

A forma que estes profissionais atuam é variada conforme sua formação e experiência, existe campo para diplomados em nível técnico ou superior, até mesmo os não diplomados tem campo de trabalho.

Mas observa-se que em todos casos é pré-requisito obrigatório ter conhecimento no que se propõe a fazer.

O mercado de trabalho e boas perspectivas

A construção civil em muitos momentos é o setor que alavanca a economia do país, justamente estimular tantas atividades. Vai crise e vem crise, profissões relacionadas estão sempre gerando trabalho e emprego. Se a economia do país ameaça crescer, o setor aquece e reflete de forma positiva.

A diferença entre estar com e sem trabalho, é uma questão do mercado em que se atua (região), pretensões salariais, qualificação dentre outros pontos, mas o fato é que há oferta de emprego e isto tende a crescer e muito nos próximos anos.

Obviamente podemos vivenciar momentos de saturação ou carência de profissionais, sendo muitas vezes um problema mais regional, mas em qualquer canto do Brasil são requeridos profissionais para engenharia civil, arquitetura, agrimensura, técnico em edificações, designers, desenhistas etc.

E uma das grandes vantagens destas áreas é que seus profissionais não estão restritos à dependência de um emprego, podem atuar com autônomos/freelancer (e olha que o mercado neste caso é enorme), inclusive trabalhar simultaneamente em alguns casos. Já é possível ver arquitetos ou engenheiros que trabalham em determinadas empresas fazer um extra em um projeto ou consultoria particular.

Mesmo desenhistas sem formação técnica (o prático) que não tem respaldo legal para assumir responsabilidade técnica em projetos, ele também têm o seu lugar no mercado de trabalho, já que é prática comum engenheiros e arquitetos que atuam como autônomos (ou até mesmo escritórios de engenharia) terceirizar a parte de desenho. Embora não seja profissão regulamentada, o desenhista pode atuar tanto como prestador de serviços sem vinculo empregatício, ou como empregado (profissão reconhecida pelo ministério do trabalho).

Como atuam alguns profissionais

O campo de atuação para o engenheiro civil, arquiteto e o técnico, é amplo e não se limita ao escritório. É tão amplo, que no caso da arquitetura e engenharia as atribuições são tratadas em forma de lei, por isto coloco na seqüência apenas um resumo breve.

Um engenheiro civil, por exemplo, é formado para elaborar desde projetos residenciais simples até calcular estruturas complexas em concreto armado, saneamento, construção de pontes, túneis, fiscalização, pode emitir laudos técnicos e por ai vai… O curso tem duração média de cinco anos. É interessante verificar a grade do curso na instituição, existem cursos cujo conteúdo destaca em determinada matéria (ex. com ênfase em hidráulica).

O arquiteto, dentre suas atribuições está à elaboração do projeto de arquitetura e interiores das edificações, projetos de paisagismo, relativos ao patrimônio cultural, tem amplos conhecimentos sobre planejamento urbanístico (ex. loteamentos), projetos relativos ao meio ambiente etc… O curso de arquitetura também tem duração média de cinco anos.

O técnico em edificações atua em parceria com engenheiros e arquitetos, embora haja limites no que diz respeito à responsabilidade técnica, o campo também é bom.
Um técnico será capaz de fazer desenhos topográficos. Locação de obras. Fazer projetos arquitetônicos, estruturas, instalações, prevenção contra incêndio, cabeamento. Faz orçamentos de obras com levantamento de quantitativos e cotação de preços. Acompanha e supervisiona obras dentre outras funções. A duração do curso é variável, de três a seis semestres (um ano e meio a três anos) dependendo da instituição, período e distribuição de carga horária. A lei permite que curse concomitante com o ensino médio.

Do desenhista e design de interiores é esperada plena capacidade de fazer a leitura e interpretação de desenho arquitetônico e civil, bem como condições para desenvolver o projeto. Não é função deste desenhista desenvolver e criar o espaço arquitetônico ou fazer cálculos estruturais, no entanto deve ser capaz, de pegar um rascunho feito por um arquiteto e desenvolver cortes e fachadas a partir dele, bem como saber detalhar um desenho estrutural conforme o calculo e rascunho de um engenheiro. Também é desejável conhecimentos em projetos de instalações, além de ser indispensável que aprenda AutoCAD e muito bem, já que o mercado a muito não aceitado a idéia de desenhos finalizados na prancheta.

Ainda no caso específico do desenhista, há uma particularidade que pode ajudar ou atrapalhar dependendo do caso. Para quem pretende iniciar com desenho arquitetônico e quer começar como autodidata, até é possível já que não se trata de profissão regulamentada, no entanto tem que ralar muito, e para atuar como “free-lancer” o Q.I. (Quem Indica) pode fazer toda a diferença. De qualquer forma, um curso nos moldes dos que é oferecido em unidades do SENAI e SENAC é um ótimo inicio, além de ser um passo primordial para começar a montar o que chamam de “network”, que no bom português é uma rede de contatos e relacionamentos profissionais.

Ainda na engenharia, há específicos como elétrica e sanitária, cuja formação tem ênfase para estas áreas. A titulo de exemplo será comum você ver um engenheiro civil fazer um projeto elétrico de uma residência, no entanto projetos de maior porte como subestações, instalações de alta tensão dentre outros, é o engenheiro eletricista quem está presente.

Há outros nichos, temos ainda o criador de maquetes eletrônicas que pode tanto ser um desenhista como um arquiteto, deste se espera plenos conhecimentos em ferramentas 3D como o AutoCAD, Photoshop e SketchUP.

Considerações

Obviamente existem competências que são exclusivas de alguns profissionais como um engenheiro ou de um arquiteto, tem também aquelas das quais, embora por lei seja previsto a atuação de engenheiros e arquitetos, a formação de um e outro tende deixá-lo mais apto a executar determinada tarefa.

A titulo de exemplo, da mesma forma que um curso de arquitetura não prevê estudos aprofundados em algumas matérias (ex.: concreto armado, fundações, materiais…) em um curso de engenharia não há formação adequada para que um engenheiro consiga atingir a mesma eficiência de um arquiteto no que diz respeito ao aproveitamento dos ambientes, espaços, conforto e beleza do projeto.

O conselho para iniciantes é se ingressar se realmente gostar do ramo (nada pior que um profissional insatisfeito com o que faz). Manter-se sempre bem informado, ler e acompanhar o desenvolvimento da sua região. Não acredite em soluções simples e milagrosas, o campo é promissor, mas exige conhecimento e bons profissionais se formam ao longo do tempo e não da noite para o dia.

E fique sempre atento, pois pode haver nichos de atuação mais atrativos até mesmo para quem já está na área, mas não está muito bem colocado e/ou remunerado.

E para quem já está na estrada, desejando pode contribuir, deixa aí o seu comentário.

Artigo revisado: Janeiro/2018

Imagem SXC: sxc.hu/photo/109254


Comentários Comentários


 
Ainda não há comentários publicados nesta página.
Seja o primeiro!
Info sobre marcas registradas
Politicas de privacidade e termos de uso do site
www.aditivocad.com - ©2001-2018 Fredy Godinho Braga

Curta a Fan Page do AditivoCAD.Com


Fechar (X)