Quanto cobrar em projetos de arquitetura e civil

Você está em: AditivoCAD.Com » Blog » Arquitetura Engenharia & Construção » Quanto cobrar em projetos de arquitetura e civil

Quanto e como cobrar projetos arquitetônicos e civilÉ recorrente algum visitante ou outro perguntar quanto cobrar em um projeto de arquitetura bem como projetos relacionados (elétrico, hidráulico etc…).

Entenda de antemão, que não é objetivo deste artigo lhe dizer o quanto você deve cobrar em um determinado projeto, mas passar dicas para que você tenha condições de formar um preço justo, pelo qual possa ter saúde financeira e não correr o risco de se transformar seu trabalho em escravidão, isto é importante de considerar principalmente para quem está começando.

Neste artigo, darei foco para o projetista que atua como autônomo, que por não ter regulamentação é um profissional que não tem amparo de órgãos como CREA’s, institutos e sindicatos da categoria de modo geral.

A formação de preços para desenhistas e projetistas

Certamente os profissionais que mais tem dificuldades em formar seu preço são o desenhista e o projetista prático, pois é diferente do profissional com nível superior que pode passar a média de 5 anos em uma faculdade com chances de fazer uma boa rede de contatos profissionais com professores e mesmo formandos, passou por estágio e teve contato com o mercado antes de ser inserido nele

No caso do projetista autônomo (prático), ou mesmo aquele que faz um curso de desenho arquitetônico, o período é muito curto, quase sempre sem estágio e poucas chances de contato prévio com o mercado. Daí a dificuldade em estabelecer preços, muitas vezes não tem ideia de quanto cobrar em um projeto. Para quem se encaixa neste grupo (de desenhistas/projetistas), a primeira coisa é entender como os projetos são cobrados.

Cada região do país pode ter suas particularidades, mas basicamente a remuneração é feita de três formas:

  1. Preço por prancha/folha – Se estabelece um preço fixo por cada folha referente ao projeto.
    Normalmente há diferenças de preço, por exemplo, se a folha for A0 ou A1. Esta forma de cobrança é perigosa, pois nem todo o projeto é igual, você pode ter uma folha desenhada em meio dia de trabalho e outra em dois dias…
    Se formar este preço por prancha, tome medidas como estabelecer um valor para projetos conforme o nível de dificuldade e detalhamento, bem como esquema de padrões de escalas pré-estabelecidos, para ou algo que faça fugir o padrão, o preço deve ser revisado.
  2. Preço por metro quadrado da obra – Cobra-se baseado na metragem de área construída.
    Esta é uma forma interessante que elimina a possibilidade de prejuízo por conta do fator de escala do projeto, no entanto deve-se ter o cuidado de estabelecer o nível de detalhamento do projeto ao colocar o preço. Da mesma forma, um projeto de arquitetura residencial exige muito mais que o projeto arquitetônico de um galpão comercial.
  3. Preço por projeto – Considerados individualmente em seu nível de dificuldade.
    É uma forma interessante de se trabalhar, ai você pode inclusive usar o critério de horas gastas por trabalho para estabelecer seu preço, ou ainda cobrança por diária.

Um outro fator que deve ser considerado em todos casos, é o que deverá ser feito. Alguns projetistas pegam um rascunho de uma planta baixa com informações básicas e desenvolve todo o projeto, elaborando coberturas, fachadas, bem como os projetos complementares elétrico e hidráulico/sanitário. Outros casos acabam pegando o projeto quase todo mastigado apenas para lançar no AutoCAD (ou copiar no papel vegetal como se fazia antigamente), este é conhecido como copista, e por questões obvias tem uma remuneração menor por projetos se comparado ao projetista pleno, até porque seu trabalho finaliza mais rapidamente.

E como um desenhista/projetista vai chegar ao preço do projeto?

O primeiro passo é fazer uma pesquisa de mercado e entender como são cobrados na sua região, se por metro quadrado de área construída, por prancha, por empreitada, por hora trabalhada, enfim, descubra como funciona na sua região. Existem particularidades de cada localidade, há cidades onde o custo de vida é bem maior logo o setor de serviços é mais oneroso, outros locais onde a concorrencia é pequena tende a ter melhores condições para quem presta o serviço, enfim, o negócio é pesquisar a sua região.

Para levantar esta informação, você vai precisar começar a mostrar sua capacidade de se relacionar, consulte outros profissionais, tanto os contratantes (engenheiros e arquitetos), como contratados (outros desenhistas e projetistas). Se você não conhece ninguém que possa consultar, é bom se virar e passar a conhecer, pois nenhum profissional sobrevive sozinho no mercado.
Uma outra forma de levantar este tipo de informação, é em birôs de plotagem, normalmente possuem informações ou indicações a fornecer neste sentido.

Como alternativa, calcule o valor da hora trabalhada

Um outro meio de formar seu preço, é estimar por hora trabalhada, também chamada hora técnica. Dizer ao seu cliente que cobra valor X por hora é algo complicado dependendo da forma que o trabalho será executado, como alternativa estima-se quantas horas vai gastar para fazer determinado projeto e dá um orçamento único para cada trabalho.

Ao formar o preço da hora trabalhada, você pode tomar como base o salário de um projetista empregado, sem esquecer claro que há adicionais como explicarei a seguir.

Antes de qualquer coisa, esteja ciente que estamos trabalhando com valores hipotéticos, cabe a você pesquisar o mercado local onde atua para saber, por exemplo, o salário de um cadista que exercerá a sua mesma função.

A titulo de exemplo, vamos considerar que na sua cidade um desenhista/cadista (prático) com vinculo empregatício tem um salário mensal de R$1.800,00 com uma jornada de 40 horas semanais, se dividir o valor por um total de 160 horas mensais vai chegar a um valor próximo de R$11,25 a hora.

Mas muita atenção, R$11,25 não deve ser a sua hora de trabalho, você na condição de autônomo nunca deve igualar o seu preço ao de um trabalhador assalariado.

Ao contrário de você ele tem benefícios como férias remuneradas e 13° salário. O projetista com vinculo de empregado também tem outras vantagens como FGTS (incluindo multa rescisória de 40% em caso de demissão sem justa causa), tem amparo da previdência social e não deixa de ser remunerado pelo dia ou mesmo meses ausente no trabalho por motivo de doença, tem também remuneração por horas extras.

Até aqui, falamos apenas de direitos no que diz respeito a legislação trabalhista, sem considerar que há muitas empresas que concedem outras vantagens como ajuda de custo para combustível, plano de saúde, vale alimentação e por ai vai…

Um projetista na condição de empregado, não tem que se preocupar com gastos como a aquisição e manutenção de equipamento de trabalho (computadores, softwares etc..), não tem necessidade de gasto com divulgação para aumentar ou conquistar uma carteira de clientes.

Custos como aquisição, manutenção e a depreciação de equipamento, gastos com tinta e material de escritório, energia elétrica, aluguel de escritório dentre outros que não cabem ao empregado mas acabam pesando para o profissional autônomo.

Agora entende porque a sua hora não pode ser o hipotético R$11,25? Então você se pergunta como vai lançar todos estes gastos e chegar ao seu preço… Pra isto criei uma pequena ferramenta que funciona “on-line” a qual vai te ajudar a calcular o preço da sua hora de trabalho para seus projetos arquitetônicos e civis.

Calcule o valor da sua hora de trabalho clicando aqui »

Cobrar caro ou barato?

Há pessoas que defendem a tese que um profissional para ser bem valorizado deve cobrar caro, pois quem está pagando vai dar valor ao trabalho. No entanto esta afirmação é perigosa de seguir, um profissional é valorizado por muitos outros fatores e não apenas preço que ele cobra, o “ganhar bem” é na verdade uma consequencia destes outros fatores, dentre estas “coisas” posso citar a seriedade, rapidez e respeito no prazo de entrega, qualidade do trabalho, experiencia e tempo de atuação no mercado (o que atrai confiança do cliente) e por ai vai… Portanto, antes de cair na armadilha do preço alto, pense se você tem diferenciais para isto, pois hoje em dia ninguém é bobo a ponto de simplesmente pagar caro porque acha que quem cobra caro é porque é bom.

Por outro lado, cobrar muito barato também é outra armadilha, o preço muito abaixo do mercado pode acabar causando desconfiança de alguns clientes, sem contar que projetistas que gostam de cobrar baratinho são os mais desmotivados com a profissão e mais tendem a se tornar insatisfeitos e passar a fazer mal feito. Um outro problema de jogar o preço lá embaixo é o tipo de cliente que você vai atrair, que normalmente é o cliente que quer apenas pagar pouco, depois você terá grandes dificuldades de elevar seu preço a um patamar mais aceitável, já que se aumentar a tendencia do cliente pode ser a de procurar aquilo que lhe atrai em outro local, preço baixo.

Então, para quem está começando, o ideal é tentar se manter no nível do mercado, você até pode abrir alguma exceção e fazer um projeto um pouco mais barato, desde que seu cliente esteja consciente que aquele não é o valor correto e ele está na verdade ganhando um desconto naquele projeto especificamente, que a partir dos próximos o valor é restabelecido. Com o passar do tempo você pode até conseguir dar uma engordada no valor dos seus projetos, esta é uma capacidade que será adquirida com a experiencia.

Dicas que valem para todos os profissionais da área

Independente de ter ou não amparo de entidades, um profissional autônomo deve ser responsável consigo mesmo e saber gerenciar suas finanças.

Separar gastos pessoais de gastos com o trabalho é uma das coisas a serem levadas em conta. Faça uma planilha de gastos mensal e acompanhe.

Outra dica é procurar ter reservas financeiras para imprevistos, esta reserva pode ser criada gradativamente. Por exemplo, seu computador pode ser roubado ou simplesmente estragar, você pode precisar de uma impressora nova inesperadamente, seu celular pode cair na privada, pode precisar se ausentar do trabalho por algum tempo por motivos pessoais, enfim, você sabe bem que imprevisto é imprevisto.

Há economistas que orientam que autônomos devem ter reservas para se manter por pelo menos seis meses sem trabalhar (busque uma literatura sobre finanças pessoais). Não deixe de levar isto em consideração quando estiver formando seu preço.

Embora tenha passado informações para quem trabalha com projetos de arquitetura e engenharia, obviamente você verá informações com valor prático para qualquer profissional autônomo.

Então é isto, caso tenha algum comentário ou se acha que pode colaborar com alguma informação, fique a vontade para comentar.

Imagem: sxc.hu/photo/784493

Alguns artigos relacionados:

- Profissões da construção civil ligadas aos projetos »
- Reciclagem e reaproveitamento na construção civil »
- Automação de projetos utilizando CAD »
- Orçamento de Obra – Como preparar »
- AutoCAD em português vale a pena? »


81 comentários para “Quanto cobrar em projetos de arquitetura e civil”

  1. Adalberto disse:

    Prezados, bom dia.

    Gostaria de saber se só engenheiro / arquiteto podem fazer planta baixa para regularização de imóvel janto a prefeitura para pagamento do IPTU.

  2. vagner disse:

    Boa noite!
    Sou técnico em eletrotécnica, gostaria de saber se um projeto (planta baixa) elétrica poderia ser usada como planta arquitetônica com apenas minha assinatura. sendo técnico em eletrotécnica.

    • Fredy disse:

      Vagner, o projeto elétrico é feito com base no arquitetônico, não o inverso. Se o Sr tem CREA, recomendo se informar diretamente neste mesmo órgão sobre limites e permissões que o Sr tem para atuar.

  3. Hygor disse:

    Oi, Fredy, tudo bom?
    Então, acabo de concluir um curso de cad 2d e 3d, estou no 2º periodo do curso de Eng. Civil. Estou um pouco perdido, não tenho tanta experiencias em relação a projetos e etc… Seria interessante eu começar a estagiar ou trabalhar como copista ou partir logo pra projetos?
    A segunda duvida, é que eu não tenho contatos nesse ramo de construção, projetos e etc… Estou perdido em relação a como procurar clientes e empresas, o que você aconselha pra quem tá entrando nessa área, o modo de abordagem, onde buscar clientes, empresas?
    Abraços.

    • Fredy disse:

      Hygor, estágio é mais interessante. Como você não tem contatos, faça um curriculum para estágio e distribua entre as empresas da sua região (busque em revistas, lista telefonica, anuncios etc…). Boa sorte.

  4. erick C. disse:

    Ola boa tarde!
    Muito boa a postagem sua Fredy!
    Quero saber se posso trabalhar como desenhista arquitetônico sem diploma? Mas tenho conhecimento para atuar como desenhista.

  5. Thaiane Souza disse:

    Oi Fredy !
    Faço tecnico de edificações e conclui a pouco tempo AUTO CAD 2d e 3d. Pensei em começar a fazer pequenos projetos no CAD e pedir para um professor ou um amigo engenheiro assinar por mim, isso é possivel?
    Adorei o seu post, muito interessante !
    V c teria alguma dica para me dar?
    Gostaria de fazer isso primeiramente para me aperfeiçoar mais, enquanto não faço estagio ainda e para ter uma graninha extra né rs

    • Fredy disse:

      Olá!

      Esta questão de fazer projetos para um engenheiro assinar, possível é, a questão é você conseguir uma parceria com um engenheiro. Avalie, pois talvez o ideal seja você trabalhar com um engenheiro ele te repassando trabalhos, é uma opção melhor para você pegar experiência. Sugiro ainda leitura do seguinte artigo: http://www.aditivocad.com/blog/profissoes-da-construcao-civil-projetos/

      Boa sorte.

    • CARLOS disse:

      Ao que me parece este tipo de atividade incorre no exercício ilegal da profissão. Por favor amigos deem um olhada na resolução 51 do CAU. A atribuição de projetos Arquitetônicos e Urbanísticos é atividade específica e privativa de Arquitetos Urbanistas que cursaram a graduação superior e foram treinados e experimentados para tanto. cada um n o seu quadrado né gente!

      • Fredy disse:

        Carlos, desculpe mas seu comentário é uma critica totalmente dispensável à quem veio aqui buscar informação e quer trabalhar honestamente para ganhar dinheiro. Primeiramente a Thaiane não fala de projetos de urbanização, fala de “projetos”, obviamente para o caso dela que está fazendo edificações não é difícil imaginar que, o que ela fala, não está restrito a um arquiteto urbanista.

        Ela pode sim buscar parceria com um engenheiro e atuar como desenhista dele. Não existe nenhum tipo de impedimento legal para a profissão do desenhista, pode inclusive ter registro na carteira de trabalho como tal.

  6. Rodrigo Ribeiro disse:

    Fredy, tudo bem?

    Estou com uma grande dificuldade, consultei esta pagina por completo mais ainda sim não consigo estipular um valor para criação de projetos, acontece que não tenho experiencia , não tenho cursos mas sei desenhar e um amigo que tem uma empresa na área me pediu um orçamento para que eu copiasse apenas algumas plantas para o Cad, não tenho nem ideia de quanto cobrar, se puder me ajudar quanto a isso agradeço.

    Abraço.

    • Fredy disse:

      Rodrigo, infelizmente não tenho nada além do artigo a oferecer.

      A formação do preço, depende de inúmeros fatores, como coloquei no artigo. O texto trás uma orientação inicial, a pesquisa do mercado local é imprescindível, e infelizmente não tenho como informar isto.

  7. demetrios rafael da silveira disse:

    Parabens pelo site.. Trab a seis meses no ramo, sou um desenhista autonomo.. Nao tinha ideia de preços, mas trab a noite, no meu escriotrio em casa.. Pelos cauculos do site ate que os preços que estou cobrando nao estão muito diferentes…mas da para valorizar mais…. Sou autonomo, paguei com recursos proprio curso tecnico para Cadista..tenho dispesas com luz, manutenção de equipamentos e locomoção..mas oque mais me prejudica são os horarios, visto que..trab para uma empresa em outra função durante o dia com carteira assinada…e a noite trab para mesma empresa como Cadista..Serviço puxado, por isso o interesse em cobrar o preço justo..! Valeu a dica..
    Grande abraço..

  8. Carlos Mier disse:

    Olá Fredy, muito boa a sua matéria parabéns, gostaria de saber se eu como Técnico em edificações com registro no conselho e Projetista, poderia elaborar projetos arquitetônicos, estruturais, elétricos e hidráulicos ou seja completo dentro das normas e dar entrada na prefeitura e se aprovado solicitar a assinatura do engenheiro da própria prefeitura, pois só posso assinar 80m2.

    • Fredy disse:

      Carlos, neste caso a autoria do projeto será do engenheiro que assinar e assumir a ART, e o engenheiro da prefeitura não é obrigado a aceitar isto e assinar o projeto.

      Mas você pode tentar uma parceria com algum engenheiro para trabalhar nestes moldes, é viável em muitos casos e pode ser interessante pra você.

  9. Luiz Augusto disse:

    Parabéns pela página postada com explicações perfeitas e sem rodeios, acredito que não só eu, como vários profissionais se encontram com estas dificuldades e que após lerem estas informações estarão certos de quanto realmente o seu serviço cobrar.

  10. Sérgio Bonfim disse:

    Fredy, sou desenhista cadista a muitos anos, e gostaria de saber se eu posso abrir uma empresa como empreendedor individual, e fazer contratos e elaborar notas fiscais dos desenhos feitos. Obrigado

    • Fredy disse:

      Sérgio, até onde sei não há problema algum em empreendedor individual atuar nesta área. Quando a emitir notas e firmar contratos certamente não há problemas. Um bom local para obter apoio técnico quanto a isto é no SEBRAE.

      Boa sorte.

  11. Jonnh disse:

    Parabens pela apresentacao desta discussao muito util para nos projetistas. Tenho uma situacao particular, sou profissional da arquitetura, e fui consultado por um grupo cooperado, que quer construir 50 casas no estilo minha casa minha vida. Pediram um orcamento para projetar 5 modelos de casas com ate 69 m2. Como ja trabalho ha mais de 15 anos na Profissao, ja tenho inumeros projetos prontos. Que com pequenas modificacoes, posso adequar. Hoje com programas modernos consigo sem muito esforco, produzir os 5 projetos em menos de 3 dias, com toda a qualidade tecnica e confome as normas. Os 3 dias de trabalho avaliei um custo com encargos de 220 reais. Minha oferta foi de 100 reais por projeto, que soma 5 mil reais. Isso da mais que o dobro do que eu ganharia em dois meses de trabalho, e mais do que ganha um arquiteto funcionario da prefeitua com 1700 reais por mes. Achei um bom preco. mas um outro arquiteto, ouvi dizer que ficou com os projetos. Por 80 reais cada. quando cotei meu preco comparei com alguns sites na internet, que vendiam projetos com a mesma area pelo dobro do preco. Voces poderiam dar uma dica se a minha forma de remunerar estava dentro dos precos normais?

    • Fredy disse:

      Jonnh, basear o preço pela internet é um erro. Nem sempre servem de parametros, as vezes se baseiam em algumas localidades específicas. Há locais onde um arquiteto pode ter um salário muito superior ao que você cita, ou mesmo inferior.

      Diferença de preço de 10% – 20% para uma mesma região, faz parte de uma concorrencia mesmo. Da forma que ficou, indica que seu preço não ficou tão fora não. Principalmente neste tipo de serviço há uma concorrencia e sempre dá alguma diferença, e felizmente pra uns e infelizmente pra outros apenas um ganha a concorrencia, acontece mesmo.

  12. Romeu disse:

    Fred,

    Muito bom o artigo publicado, de maneira sucinta e inteligente foi formalizado um texto para o valor do projeto de arquitetura por m².
    Mas alguns ainda não compreendem que a melhor maneira de formar o valor do m² é pesquisando os
    preços praticados em cada localidade.
    Uma dica: sempre cobrei os projetos por m², respeitando um princípio. “Quer ter credibilidade, fale sempre a verdade”. Formar clientes que sempre terão confiança no trabalho e procurar fazer os projetos (construção ou legalização) na certeza de que serão aprovados nas devidas secretarias.

    Fred, um grande abraço, não o conheço mas desde já tem o meu respeito e minha admiração.
    Continue a publicar artigos inteligente e vivos de comunicação.
    Que Deus abençoe a sua vida familiar e prospere a sua vida profissional.

    Fique na Paz do Senhor Jesus.

  13. Camila Rampinelli disse:

    Bom dia,

    Sou projetista assalariada ha alguns anos, por pratica com o autocad, pois nao fiz nenhum curso especifico, somente o de Auto cad mesmo.
    Tenho muita vontade de trabalhar por conta fazendo projetos para terceiros, mas nao tenho conhecimento de quais projetos um projetista possa realizar sem ter que recolher ART, ou os que possa assinar sem peoblemas.
    Gostaria, se possivel, que voce pudesse me dar alguma orientaçao quanto a isso; que tipo de projetos posso assinar sem precisar de crea e ART e quais posso realizar tranquilamente.

    Parabens pelo site, pois ajuda muito a vida de quem trabalha com o Cad.

    Desde ja agradeço,
    Camila Rampinelli

    • Fredy disse:

      Camila, a assinatura do projeto requer uma responsabilidade técnica, por isto apenas técnicos formados ou outros graduados podem assinar um projeto. Na condição de projetista (desenhista) você pode fazer desenhos auxiliando outros profissionais como engenheiros e arquitetos. Se possui boa experiencia, busque parcedia com algum profissional. Veja também nos artigos relacionados o que fala sobre as profissões da construção civil ligadas aos projetos.

  14. REYNALDO disse:

    Quero parabeniza-los pelas informações prestadas no texto. Faz alguns anos (+ de 15 anos) que não faço desenho de projeto de Arquitetura para aprovação, junto a Prefeitura. Pergunto, existe algo de novo na apresentação dos Projetos para aprovação. Quanto o preço à cobrar o texto pública me foi bastante esclarecedor.

    • Fredy disse:

      Reynaldo, cada prefeitura pode estabelecer suas diretrizes, até mesmo em função de uma alteração do plano diretor de cada municipio até pode mudar sim, mas o ideal é que verifique isto diretamente na prefeitura de sua cidade ou com algum profissional que atue a mais tempo por ai.

  15. Alex Sander disse:

    Olá, boa tarde.
    Ótima matéria de “como cobrar”. Sou técnico em edificações recém formado e desenho há 1 ano, mais eu uso o software REVIT e minha duvida é saber se existe alguma referencia diferente a ser adotada na cobrança por se tratar de um programa pouco mais complexo, e por ser de conceito BIM.
    Gostaria de saber se o conceito BIM, como planilhas, tabelas, quantitativos; devens ser cobrados separados, ou ser incluso no no preço de projeto como um todo.
    Atenciosamente.

    • Fredy disse:

      Alex, desconheço algum esquema de preço especifico para este caso.

      Particularmente penso que este negócio de cobrar baseando-se nas ferramentas que usa nem sempre funciona. Se o Software é melhor ou pior, mais completo ou mais simples… nem sempre deve relacionar isto com o preço. Para o cliente importa mais produto final que ele receberá. O meio de se fazer um projeto importa mais é para o projetista.

      Você pode ponderar a qualidade final do seu projeto para compor seu preço, mas cada caso é um caso, nem sempre planilhas e quantitativos tem muita importancia para o cliente, tentar vender o que o cliente não quer nem precisa é fria.

  16. Paulo Faria disse:

    Parabéns pela coragem em tocar no assunto! Pelos comentários dá prá perceber fácilmente o interesse de todos da área. Gostei muito de suas palavras. Já havia consultado outras discussões na internet, e tirado minhas conclusões. Neste texto, você consegue passar o que realmente acontece. É preciso se auto valorizar quanto profissional. É melhor impor um valor que vá lhe deixar feliz, e consequentemente o seu cliente também – caso aprove sua proposta, do que comprar um problema que vai lhe perseguir enquanto não entregar o trabalho. Considero que é preciso muita conversa com o cliente antes de fechar o negócio e até se possível conseguir um adiantamento. É muito comum o cliente “inventar” detalhes não combinados antes! Abraço!

  17. thiago disse:

    Resumindo existe uma grande falação, mas o valor que é bom não aparece em nem um momento, que tal mudar o nome do texto, forum ou sei la o que, abraços…

  18. Pedro Crisóstomo disse:

    Meu amigo, muito obrigado! eu tinha algumas dúvidas, mas agora já está tudo certo.
    Parabéns por suas postagens.

    Pedro Crisóstomo.

  19. Denise disse:

    Achei legal

  20. Cleber dos Santos disse:

    Prezado Fredy; Estou entrando em contato para lhe dar os parabéns pelos conteúdos expostos, por procurar de forma simples e clara, sanar nossas dúvidas. Continue nos ajudando, é de grande valia. Gostaria também, se possível, é claro, de contatar com a Jaqueline, que fez um comentário em 2 de março de 2012 às 11:02, onde diz que é cadista no interior aqui do Rio Grande do Sul, para que pudéssemos nos auxiliar um ao outro. Podes passar meu e-mail à ela. Um grande e fraterno abraço.

  21. Jaqueline disse:

    Olá, eu estou trabalhando como cadista, e também estou com dificuldades em relação a preço. Visto que aqui onde eu moro, no interior do Rio Grande do Sul não tem cadistas na área de arquitetura e engenharia. Eu queria saber qual seria a melhor forma de eu cobrar, levando em conta que às vezes, a arquiteta me passa uma planta baixa à mão, e eu passo a planta para o cad e desenho todo o resto, vistas, cortes.. e às vezes eu só tenho que desenhar a planta baixa, ou só um projeto hidráulico. Então, eu fico pensando como seria mais justo o preço.. Gostaria de sua ajuda. Obrigada.

    • Fredy disse:

      Jaqueline, sem ter um parametro de comparação de quanto e como cobram na sua cidade, complica. Se você observar os comentários dos demais verá relatos de quem diz o quando cobra, mas é um risco seguir isto pois para sua região pode diferir.

      A sugestão que posso lhe dar é tomar como base a quantidade de horas que leva para terminar determinado trabalho e dar o orçamento do serviço com base nisto. Você pode pesquisar o salário de um desenhista no seu estado e lançar este dado na ferramenta que indicamos no artigo para calcular a hora de trabalho para verificar a sua hora trabalhada. O levantamento de salário pode ser feito em http://www.aditivocad.com/blog/como-pesquisar-seu-salario-em-relacao-ao-mercado/

      Boa sorte.

  22. Matheus dos Reis disse:

    Primeiramente queria agradecer por ter esse espaço e parabenizar pelo blog. Bastante informativo e bem claro.

    Bem, tenho 19 anos, fiz o curso de técnico em Edificações e agora estou no estágio (há 9 meses) em uma construtora, onde faço vários projetos no AutoCAD e alguns em 3D, como o SketchUp e às vezes no 3D Studio.

    De vez em quando vem alguns clientes solicitando ‘projetinhos’ simples que não dependem da construtora, daí eles me procuram e entro como profissional autônomo.

    São projetos do tipo: luminotécnico e detalhamento de sala/cozinha no CAD; reformas de varanda/garagem em 3D.

    Gostaria de saber, mais ou menos, se meu preço está bom, pois os luminotécnicos cobro em média de 50 reais (em 2D) e gasto em média 2 horas.

    E sobre as reformas (em 2D e 3D) quanto devo cobrar? Em vista que disponibilizo meu tempo e gasolina para ir na casa, faço a medição, elaboro o projeto no CAD, depois passo para o 3D totalmente detalhado.
    Neste último caso acho que seria um pouco acima da média, pois não é todo mundo que faz em 3D. (Tempo de projeto em média, 4 à 5 horas)

    Grato.

    Atenciosamente,

    Matheus dos Reis – Araxá, MG

    • Fredy disse:

      Matheus, não falarei sobre o quanto deve cobrar ou se o preço está bom. O mercado pode variar muito de região para região e não tenho dados regionais para dar uma resposta responsável. O ideal é que tente montar seu preço dentro da realidade onde atua, ai em Araxá. Além de algumas dicas, há um link no proprio artigo com uma ferramenta que auxilia nisto, ok?

      Sobre sua ultima colocação, do projeto em 3D, onde há maior carencia deste tipo de profissional com certeza o serviço é mais valorizado, e de qualquer modo não deve ser cobrado como um projeto simples pois requer maior capacitação, já vi casos de quem cobre de 50% a 100% a mais que um desenho comum, mas esteja atento ao que funciona ai, não adianta cobrar o que o mercado não paga.

      Outra coisa, se você precisa se locomover para fazer as medições e tem despesa com isto, o correto é que estas horas a mais sejam consideradas e cobradas, ainda que não seja exatamente o mesmo valor da hora/projeto, bem como as despesas adicionais que tiver em função disto, adicione. O link que lhe falei para o calculo da hora de trabalho contido no artigo ajuda nisto.

      Espero ter ajudado, boa sorte.

  23. simone disse:

    Bom dia, vou começar a fazer técnico em edificações no mês de março de 2012, e gostaria de saber se o retorno depois que eu me formar pode tá ou não aquecido, sendo que o curso tem duração de 1 ano e meio, e também trabalho na área de vendas em uma imobiliária, será que isso seria promissor, pois conheço muitos construtores.

    • Fredy disse:

      Com certeza é promissor Simone, você já tem a facilidade do contato profissional, isto é um ótimo diferencial. A tendencia do mercado para construção civil é de dar uma aquecida daqui em diante, principalmente em locais que tem envolvimento com o evento da copa e olimpiadas.
      Boa sorte.

  24. Elinho Souza disse:

    Olá pessoal, não tenho curso de Edificações, mas tenho de elétricista, e sempre gostei da área de projetos e sempre estudei (por conta propria) desenhos de planta baixa e alta, agora, depois q formei em eletricista, faço projetos de planta baixa e já faço junto o projeto elétrico e se preciso até o hidráulico. O problema é encontrar os clientes, tá muito difícil seguir nessa area, pois não tenho qse clientes e nem contatos…Gostaria de saber: Meus projetos, por serem com eletrica e hidráulica em planta baixa, devem ser mais caros? e como fazer pra captar clientes?
    Obrigado.

    • Fredy disse:

      Elinho, o negócio ai é o mesmo para qualquer segmento: Divulgação!

      Busque divulgar, por exemplo, em birôs de plotagem. É preciso montar uma boa rede de relacionamento com engenheiros e arquitetos, o inicio é dificil mesmo, com o tempo que começar a se tornar conhecido melhora. Sobre a questão do preço, nem sempre funciona assim. Um projeto de arquitetura, dependendo da complexidade é o mais demorado e oneroso. Mas cada caso é um caso.

  25. Joel Andrade disse:

    Trabalho como desenhista free lancer, cobro em torno de R$ 25,00 a hora. já um projeto para aprovação definido pelo engenheiro, apenas para adequação as normas de aprovação, cobro em torno de 0,70 o m2, ou seja um proj. de 300,00 m2 que gasto em torno de 3 horas, cobro R$ 210,00, pra mim é um valor justo, já que os profissionais da área onde moro cobram em torno de R$ 15,00 o m2, e como nem todos vivem da profissão e também por ser uma cidade de porte pequeno, costumamos ver muito o poder econômico de cada pessoa, pois se vc vai construir uma casa de 120,00 m2, com certeza não será cobrado igual a quem irá construir uma de 1.500,00 m2

  26. Genailson disse:

    Gostaria de saber se cobrar R$10,00 m² é caro, uma vez eu faço o anteprojeto e o projeto, a medição do lote no local, e o Engenheiro somente tem o trabalho de por o nome dele, para liberação na prefeitura. Sou técnico em Edificações, e tenho Curso de Desenho Arquitetônico, Técnico de Planejamento de Obras, Edito e projetos, residenciais e comerciais completos, só não os assino.

  27. Antonio disse:

    Parabéns!!
    Mto util o q vc posta.

    tenho 22 anos, e trabalho como desenhista cadista a 4 anos, trabalho para um Eng. Civil. O qual me paga por m², varia entre R$3,00 a R$4,00 o m². Nao tenho o que reclamar do quanto ganho. A minha duvida, é saber
    se existe algum curso além de tecnico em edificações, que poderia me dar uma formação melhor, já que por enqnto nao posso fazer uma faculdade de eng. ou arq.

    Att

    Tonin

  28. Rosângela disse:

    Olá.
    Trabalho como desenhista projetista para uma empresa na cidade de São Paulo há 11 anos, mas não sou empregada da empresa.
    Trabalho na prática como autômona, mas não com uma situação regularizada e gostaria agora de corrigir isso. Verifiquei na prefeitura de São Paulo e o profissional autônomo desde 2009 não é obrigado a recolher ISS e emitir notas fiscais, apenas recibos. No entanto, a empresa para a qual eu trabalho me informou que preciso emitir notas dos meus serviços se quiser receber pela empresa. Isso está correto? Porque eu deveria emitir nota fiscal se o município não exige? Há alguma outra exigência de nota relativa à impostos federais ou ao imposto de renda?
    Obrigada.

    • Fredy disse:

      Rosângela, de impostos, além do ISS tem o INSS também, o imposto de renda retido na fonte eu não sei em que situações é exigido por lei.

      O ideal é você tentar ver com um contador informações mais concretas para poder argumentar com a empresa. De qualquer modo, uma das medidas que pode tomar é embutir o ISS no valor do serviço e emitir a nota, as vezes somos obrigados a dar o braço a torcer para algumas burocracias ou então perder o cliente.

      Não tenho conhecimento de como a prefeitura de São Paulo está agindo em relação ao ISS de autonomos. Se tem certeza da informação que obteve na prefeitura, o ideal é tentar conversar com a empresa e ver o que pode ser feito. Algumas vezes exigencias neste sentido vem de questões burocráticas, internas de cada empresa.

      Boa sorte.

  29. James disse:

    ola! gostei bastante do que vc postou aki,
    mas ainda nao tive uma base de orçamento.. e quebra essa duvida minha, como eh q vou cobrar por exemplo, por metro² se nem sei quantos metros irá ser preciso para se projetar uma casa por exemplo??…

    e vc acha q se eu cobrar 10 conto por metro² seria um bom preço?.. pq olha minha situaçao > eu tenho apenas 17 anos e começei a desenvolver projetos.. desenhos arquitetonicos aos 14 anos, e ate agora nao fiz nenhum curso. Então oq eu sei são coisas simples, como, saber dividir bem o espaço (aproveitar), faço desenhos em pespectivas tbm.. e o pessoal fala q desenho bem, q ate entao me pediram pra projetar minha igreja a qual ela ja foi construida (claro, o projeto passou nas maos dos arquitetos e engenheiros para avaliações tecnicas, pois isso n sei).. e tbm recentimente projetei a casa da minha vizinha, mas ate agora eu nao cobrei nada a ela.. pois eu nao sei o quanto pedir. tenho medo de lançar um preço e ela se assustar, e alias eu nao tenho ideia d quanto cobrar, como base em metros²!..

    espero que tenha entendido minhas duvidas.. e que possa me ajudar nessa!.. pq tem um monte de gente kerendo meus projetos e eu n posso sair perdendo nessa..

    vlw bro..

    • Fredy disse:

      James, R$10,00 pode ser muito, pode ser pouco como também pode ser justo… do mesmo modo cobrar por metro quadrado pode cair na mesma. Então, sugiro que leia todo o artigo que verá as dicas de como formar seu preço baseado na sua região.

      No seu caso que tem pouca experiencia, sugiro que busque um engenheiro ou arquiteto para auxilia-lo (você auxiliar ele), é a melhor forma de aprender a trabalhar e a cobrar.

      Outra coisa, desenhistas não são habilitados para fazer projetos da forma independente que está fazendo, desenhistas são contratados por engenheiros e não pelo proprietário da obra. Isto que está fazendo pode facilmente ser interpretado como exercício ilegal da profissão, já que você não é legalmente habilitado para assumir responsabilidade técnica pelo projeto que fez para a sua vizinha (ou qualquer outra pessoa).

      Se você é muito requisitado por este tipo de serviço, sugiro que procure um engenheiro ou arquiteto e firme uma parceria com ele, você passa o cliente pra ele em troca ele te passa os desenhos. Assim você ganha, o engenheiro ganha e seu cliente ganha segurança…

  30. Henrique disse:

    boa tarde, gostei muito das dicas, foram de grande valia, mas gostaria de saber se um
    projetista que pega projetos para fazer, com orientação do engenheiro e com a assinatura do mesmo,
    pode ser notificado pelo crea por não ser legalmente habilitado, ou o engenheiro pode responder por algo?

    • Fredy disse:

      Henrique,

      Se o desenhista se fizer passar por engenheiro perante alguem (fazendo projetos, acompanhando obras, assumindo responsabilidade em projetos e obras…) ai sim caracteriza exercício ilegal da profissão, este critério vale pra qualquer profissão regulamentada.

      Fora isto, se o engenheiro assumiu a responsabilidade técnica pelo projeto, o CREA não tem que notificar ninguem.

      O desenhista não é legalmente habilitado para ser engenheiro, mas nada impede que ele seja auxiliar do engenheiro. Alias, existem engenheiros e arquitetos, que devido pouca disponibilidade de tempo ou mesmo falta de habilidade com sistemas CAD, não dispensam o auxilio de um desenhista.

      Não há absolutamente nada de ilegal em trabalhar auxiliando um engenheiro ou arquiteto em projetos.

  31. GERALDO EUSTAQUIO DE ARAUJO disse:

    GOSTEI MUITO DA PLANILHA DEU PARA TIRAR UMA CONCLUSAO QUE MEU PREÇO E MEDIO COBRO POR METRO QUADRADO NA BASE DE CR$1.30.00 MAIS O ENGENHEIRO QUE TRABALHO COMO DESENHISTA ACHA CARO SO QUE ELE ESQUEÇE QUE COOMEÇO UM PROJETO DO ZERO SOU EU QUE FAÇO O ANTE PROJETO.
    GOSTARIA DE SABER SE ESTOU CERTO.

    ATE:GERALDO

    • Fredy disse:

      Geraldo, não entendi este preço seu, mas de qualquer modo não tenho como opinar sobre estar caro ou barato devido as particularidades de cada caso e mesmo região onde se atua.

      Agora, sobre o engenheiro que você presta serviço, folgado ele não é? Se até anteprojeto você está fazendo, você está é fazendo o trabalho dele e não sendo apenas desenhista. Este negócio de taxar o trabalho dos outros de caro é complicado, qual é o parametro que ele usa? O seu preço está acima da média do mercado? Ele tem opções de qualidade igual ou melhor a preço mais acessível? Pesquise sobre isto, quem sabe você não está trabalhando a preço de banana e ele usa esta estratégia de taxa-lo caro pra que você continue na mesma…

  32. Marco Betti disse:

    Parabéns

    Não só pela matéria mas também pela planilha de calculo que é show.
    Eu já trabalhei como Cadista a alguns anos atras. Na época se pagava R$ 1,00 o metro quadrado. (planta baixa, dois cortes, fachadas 2, telhado, situação)
    Então tenho uma pergunta: E hoje? Qual o valor a ser cobrado se um arquiteto diz que lhe vai pagar por m²? Que valor poderia ser dado? E para o valor proposto, o que está incluído na plotagem?
    Fico grato se puder me responder isso também, mas já fiquei muito contente da matéria apresentada. Poucos apresentaram de um modo tão eficiente como você.
    Muito Sucesso e Obrigado.
    Marco Betti

    • Fredy disse:

      Marco, não existe um valor pre-estabelecido, pode variar de acordo com a região, sendo que em alguns locais não se cobra desenho por m2. Sugiro que leia no artigo o item “E como um desenhista/projetista vai chegar ao preço do projeto?” que dá algumas dicas para se levantar esta informação.

      Realmente não é objetivo aqui dizer quanto se deve cobrar, pois devido a particularidade de cada região, isto pode acabar levando muita gente ao erro.

  33. NATAN disse:

    vou começar a trabalhar agora como autônom, pois saí da empresa em q trabalhava.
    esse site clareou mais a minha mente, valeu pelas dicas

  34. Valdemiro S Oliveira disse:

    Realmente o assunto é de grande importância. Sou eletrotécnico (aposentado)e desenvolvo alguns projetos elétricos no AutoCAD, na maioria das vezes para amigos, sem nenhuma remuneração. Recentemente fui solicitado a desenvolver um projeto elétrico para uma pequena fábrica de gelo, incluindo não só alimentação como a proteção elétrica dos equipamentos. Como não sabia, e continuo não sabendo, montar uma planilha de preço, mais uma vez optei pela amizade. Será que não estou me desvalorizando profissionalmente?

    • Fredy disse:

      Valdemiro, na minha opinião você está mesmo se desvalorizando e ainda contribuindo negativamente com os demais profissionais, pois há desvalorização da profissão. Faça valer o velho ditado “amigos amigos, negócios a parte”.

      Sou a favor de ajudar outros profissionais, principalmente aqueles que estão começando, mas pelo que você fala não está ajudando, mas carregando os outros nas costas.

      Pense, você está ajudando as pessoas e empresas a ganhar dinheiro e crescer com seu trabalho mas sem receber retorno com isto. Dinheiro não é o mais importante pra você? Pois bem, pense em cobrar da mesma forma e doe o dinheiro a quem precisa, com certeza vai encontrar gente muito mais necessitada que estas pessoas que estão simplesmente se aproveitando do seu trabalho.

      Desculpe, mas na minha opinião sua ajuda com os demais parece estar atrapalhando muita gente, inclusive você mesmo.

      Boa sorte.

  35. Miguel disse:

    Que grande iniciativa esse site. Parabéns pelo texto e planilha. Muito instrutivo e esclarecedor.
    Gostaria de saber também, se no campo do projeto mecânico, aplicam-se os mesmos princípios?
    Mais uma vez, agradeço pelo partilhamento do conhecimento. Realmente, muito nos ajuda. Obrigado.

  36. Luciano Sardanha disse:

    Estou no segundo ano do Curso de Eng. Civil, e com grandes expectativas de entrar na área de projetos como autônomo, esta matéria foi ótima para uma visão mais detalhada.
    Parabéns pela matéria.

  37. Vinicius Costa disse:

    Esse PERALÁ não esta com nada, esta querendo aparecer….

    Fredy o blog é excelente as dicas são super validas, procurei alguns engenheiros em minha cidade e me apoiaram muito em fazer o curso, ja me pediram o meu tel para contato antes de eu fazer o curso….

    E outra coisa “O PERALÁ”provavelmente deve ser um deseludido na area….
    É um coitado…

    • Fredy disse:

      Tem razão Vinicius, pensei bem e preferi rejeitar o comentário dele, já que além da faltas de respeito dele para com os profissionais, ainda tem informações falsas que podem acabar por induzir as pessoas ao erro.

  38. Vinicius Costa disse:

    Boa Tarde

    Excelente essa materia, estou começando um curso de desenho tecnico e em seguida vou fazer autocad 2d e 3d….. estava realmente com essas duvidas…será que ganharei dinheiro fazendo esses cursos?… agora tenho certesa, vou fazer e investir nessa area… Obrigado pelas dicas foram de muito valor para mim…

    ALGUMA DICA PARA QUEM ESTA COMEÇANDO NESSE RAMO AGORA?

  39. Arquimedes disse:

    Ola amigos do aditivocad!

    Parabêns pelo belíssimo trabalho, realmente foi uma ótima publicação, muito esclarecedora.

    Grato,

    Arquimedes Souza – São paulo-SP

  40. Francisco Andrade disse:

    OLA BOA TARDE.
    sOU FRANCISCO Andrade
    Desenhador /projectista a 9 anos.

    OBRIGADO PELO LINDO CONSELHO COMO COBRAR UM PROJECTO DE RQUITECTURA.ESTE ARTIGO É EXELENTE A GOSTARIA MUITO DE APLICAR NO MEU TRABALHO DO DIA A DIA.OBRIGADO MAIS UMA VEZ.

  41. Huil De Lucca disse:

    O profissional do trabalho em todas as suas categorias tem um mercado exigente.
    A experiência exerce na área de desenhistas e projetistas o padrão atual formado pelo conceito da valorização auto pessoal qualificando ainda mais suas ações relacionadas a desenhos arquitetonicos e projetos sustentaveis relacionados á segurança do meio ambiente.
    A tecnologia mostra apenas um diferencial do manual ao prático ex de cursos como o de Autocad.
    Valorizar seus desenhos a um preço justo concerteza vale a pena!
    Fico grato pela materia e obrigado.

    Huil De Lucca – Campinas – SP

  42. Gostei, das explicações e acho que é muito útil, porém eu estou procurando para um cálculo como empresa, exemplo: eu tenho uma empresa e trabalham comigo 1 instrumentista de cada área mecanica, elétrica e instrumentação, 2 cadistas e 1 administrativo, quanto é o meu custo de hora projetista para vender para outras empresas ou para fazer um projeto industrial.

    • Fredy disse:

      Horácio, embora o artigo seja direcionado para profissionais autonomo e não tenha nada específico para uma empresa, o mesmo conceito pode ser aplicado para uma empresa, diferenciando apenas os dados. Levantando os custos para manter seu funcionário, desde salários, impostos, o custo de manutenção do negócio como um todo, aplicando a margem de lucro da empresa, é o inicio para chegar ao custo da hora trabalhada.

      Em se tratando de uma empresa, se não se sente confortável para montar uma planilha desta, fica muito fácil pegar um modelo pronto e errar, talvez uma consultoria do Sebrae seja algo mais indicado para o seu caso.

  43. Arthur disse:

    cara isso me salvou, numca fez um trabalho por fora do trabalho vou fazer um amanha e essa iniciativa de vcs ajudou MUUIITO.

  44. Osvaldo Manuel disse:

    Bom dia Equipe AditivoCAD,

    É com imenso prazer que agradeço esta iniciativa de vossa parte, eu andava mesmo meio perdido no que diz respeito a cobrança de Projectos de Arquitectura e com esta dica excelente deram-me luzes de como cobrar em meus projectos.

    Eu sou Angolano e sempre que posso, dou uma olhada em vosso site para ver novidades, pena é não conseguir comprar nada por não ser possivel mas, contudo o site é nota 10 e eu recomendo.

    Abraços e continuem postando cada vez mais coisas pelo bem do desenvolvimento humano…

  45. Eduardo disse:

    Adorei as dicas . parabens por esta nota

  46. Ismael de Miranda Filho disse:

    Bom dia amigos AditivoCAD
    Excelente o trabalho de vcs, sou iniciante e esta matéria me deixa + a vontade para desenvolver meu trabalho e negociar dentro dos parametros vividos pelo profissional.
    parabéns e continuem postando informações como estas.

    Att.

    Ismael de Miranda Filho – Porto Nacional – TO

  47. Alexandre Paiva disse:

    Eu estava procurando orientações para compor meu preço de autônomo para as horas vagas e essa literatura foi de grande valia, principalmente o link q direciona para o cálculo do valor da hora trabalhada.

    Muito esclarecedor! Belíssimo trabalho, parabéns ao(s) criador(es).

  48. Carlos Alberto B. de Oliveira disse:

    Olá Amigos do Aditivocad
    Obrigado, e parabéns pela dica de como cobrar um projeto, eu particularmente cobrava por prancha, mas com as dicas de vocês vou me informar melhor aqui na minha cidade sobre a cobrança de projetos. Obrigado pela dica.
    Aguardo outras informações.
    Atenciosamente
    Carlos Alberto – Santarém – Pará

  49. Lupercio Moura disse:

    Parabens

    Pela dicas dos calculos hora de um projetista, gostaria de receber mais informações, desta conceituada Empresa.

    Atenciosamente,

    Lupércio Moura

Deixe um comentário

Comentários sob moderação, só aparecem para todos se aprovado.
Regras para comentar:
Neste canal, NÃO é prestado atendimento comercial (produtos do site). Para tratar sobre compras suporte a produtos etc... favor acessar o atendimento do site.

Foco no assunto: Deixe apenas opiniões, criticas, elogios, sugestões ou comentários que tenham relação com o conteúdo da página onde será exibido o comentário.

Proibido: Fazer auto-promoção ou propaganda; Divulgar/solicitar informações sobre cracks e afins; Solicitar informação ou resposta privilegiada por e-mail; Reclamar ou cobrar que sua  pergunta não foi respondida. Comentários desta natureza não serão aprovados.

Este espaço apesar de aberto à sua participação e ter informações divulgadas publicamente, é um espaço privado. Então, mensagens ofensivas ou contrárias aos interesses do site podem ser ignoradas sem maiores explicações.

Digite seu comentário. (O moderador pode edita-lo antes da publicação, afim de adequar as regras)

Repita o e-mail:

Digite o codigo da imagem seguinte: